09.12.2021

Texto Pastoral: “O Salvador Prometido”.

Vivemos em um mundo de promessas.

“Promessas são fáceis de fazer e fáceis de quebrar.” Mary Poppins tem toda razão! Vivemos em um mundo de promessas. Confesso que gosto de ver horário eleitoral apenas para dar risada das promessas incalculáveis dos candidatos. No entanto, sabemos bem que não são apenas os políticos que fazem promessas absurdas. Quando olhamos para muitas das campanhas de marketing que nos cercam também percebemos o quanto as promessas de uma vida melhor que o “produto tal” nos proporcionará são mentirosas. Sabemos que nenhum bem de consumo pode produzir uma vida tão boa, organizada e feliz quanto a propaganda nos promete.

Manter as promessas diante da dificuldade.

Mas temos que nos lembrar que nós também somos culpados de promessas vazias. Afinal, o que são as famosas promessas de Ano Novo? Sejamos honestos: em março, já desistimos da maior parte das promessas que fizemos em janeiro. E isso não é tudo, pois bem sabemos o quanto somos incapazes de manter a nossa palavra diante de dificuldades que não controlamos.  

 É muito difícil manter as promessas que fazemos quando não controlamos todas as coisas ao nosso redor. Seria impossível manter promessas de atividades caso sejamos abatidos com uma enfermidade; é inviável manter promessas financeiras caso o desemprego nos atinja; é bem difícil manter promessas familiares quando as configurações do sistema de trabalho mudam drasticamente. Diante da dificuldade de mantermos a nossa promessa, não é à toa que o Senhor Jesus nos orienta: _“Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não…”_ (Mt 5:37). E Tiago nos alerta sobre a falibilidade dos projetos humanos (Tg 4:13-17).

A Promessa do Salvador.

 Na verdade, a única pessoa que não precisa se preocupar com isso é o próprio Deus. Se entendemos que Ele é quem governa soberanamente todas as coisas, então, podemos crer com convicção que Ele sempre vai cumprir o que prometeu. E a maior de suas promessas é a promessa de um Salvador.

Diante da Queda da humanidade como consequência do Pecado, relatada em Gênesis 3, vemos o Senhor Deus prometendo a esperança de redenção. Ele diz a serpente: _“Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.”_ (Gn 3:15). Ou seja: diante do horror e da condenação do Pecado, Deus promete uma solução: o Descendente da mulher nos salvaria da morte e do inferno. E quando nós observamos com atenção todo o Antigo Testamento, percebemos que tudo o que acontece é a incapacidade dos diversos descendentes da mulher de nos redimir. A começar por Caim, que assassinou o próprio irmão, um a um, todos se mostraram completamente incapazes de cumprir a promessa de um Salvador. E isso aconteceu porque desde a eternidade, Deus já havia designado um Salvador: o Senhor Jesus Cristo. Todo o desenrolar da história do Antigo Testamento é baseada na esperança de um Messias, aquele que viria para resgatar o povo dos horrores impostos pela serpente e pelo Pecado.

O Natal é a celebração de que o Senhor Deus cumpre suas promessas ao enviar Seu Filho Unigênito para ser o Salvador que nós precisávamos. Aliás, o único Salvador que precisamos!

Feliz Natal!

Rev. Thiago Mattos.
Igreja Presbiteriana do Tarumã

Saiba mais sobre a IPT clicando aqui 

Share on facebook
Share on whatsapp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Tabela

Venha nos conhecer

Sua presença será uma alegria para nós, entre em contato
para agendarmos sua participação.